23 setembro 2013

Vila Real de Santo António


Na zona histórica pombalina de Vila Real de Santo António, a Praça Marquês de Pombal é um bom exemplo da reconstrução dos edifícios antigos.

21 setembro 2013

Sequência inevitável

 A lua nasce... o sol põe-se...

19 setembro 2013

Pia do Urso

 Apenas algumas casas de Pia do Urso. Uma aldeia, toda bem restaurada, situada na Serra de Aire e onde existe um dos quatro percursos pedestres da serra - a Rota dos Moinhos. Um passeio a repetir com mais calma e com os netos que não estavam comigo.

17 setembro 2013

Casa da Música

Para se cumprir a tradição/crença/superstição, aqui está o azulejo torto dum dos painéis da Sala Vip da casa da Música.

06 setembro 2013

Castelo do Queijo

Forte de São Francisco Xavier
Por que lhe chamamos Castelo do Queijo? Veja aqui.

05 setembro 2013

Privilégio

Ter um andar na Lapa com as traseiras com vista para o Castelo de S. Jorge...
 ...e a frente com um terraço com vista para o Tejo...
...não é para todos. Mas eu tenho o privilégio de ser muito amiga da dona da casa desde os 10 anos de idade.

04 setembro 2013

03 setembro 2013

A ponte é uma passagem...

...para a outra margem.
"Na segunda metade do século XIX, o comércio progredia na cidade do Porto. As fábricas espalhavam-se por todo o bairro oriental da cidade, dito brasileiro. O tráfego para Gaia e Lisboa crescia a olhos vistos, e a bela Ponte Pênsil não chegava para uma circulação eficaz.
Por proposta de lei de 11 de Fevereiro de 1879, o Governo determinou a abertura de concurso para a "construção de uma ponte metálica sobre o rio Douro, no local que se julgar mais conveniente em frente da cidade do Porto, para a substituição da actual ponte pênsil", após o governo não ter aceite um projecto da firma G. Eiffel et Cie. que só contemplava um tabuleiro ao nível da ribeira, com sector levadiço na parte central. Um projecto que mereceu um Grande Prémio na Exposição Universal de Paris de 1878, mas não servia para uma eficaz ligação entre os núcleos urbanos do Porto e Gaia. Por isso aquele concurso impôs como premissa necessária à concepção de uma ponte de dois tabuleiros. Apresentaram-se numerosos concorrentes: Société de Braine Leconte,Société des Batignolles (duas soluções), G. Eiffel et Cie., Auguste LeCoq. Andrew Handyside, Société de Willebroek(duas soluções) e John Wixon. Foi vencedora a proposta da empresa belga Société de Willebroeck, com projecto do engenheiro Teófilo Seyrig, que já tinha sido o autor da concepção e chefe da equipa de projecto da Ponte D. Maria Pia. Teófilo Seyrig, enquanto sócio de Gustav Eiffel, assina como único responsável a nova e grandiosa Ponte Luís I. A construção inicia-se em 1881 e a inauguração acontece a 31 de Outubro de 1886." (mais aqui)

O Outono aí

01 setembro 2013

Todos à água

 Em amena convivência os surfistas e gaivotas...