29 outubro 2012

A minha palmeira

 
Desde pequenina que esta palmeira, da casa do meu avô paterno, me impressionou pelo seu tamanho. Ela lá continua enorme a lembrar-me a minha infância.

26 outubro 2012

Simplicidade


Cada ser humano tem o seu valor mas alguns possuem capacidades fora do vulgar que os tornam únicos. Leonardo da Vinci é, para mim, o maior entre os maiores. Faço minhas as suas palavras: "A simplicidade é a satisfação máxima". 

20 outubro 2012

Portugal Fashion

Ontem fui à Alfândega ver a passagem da Tmcollection para a Primavera-Verao 2013. A Teresa Martins fez desfilar cerca de 40 modelos metade por profissionais e metade por cidadãs comuns, atitude que eu considero positiva. Afinal a moda é para mulheres comuns. A minha filha Teresa foi uma das que desfilaram com roupa de Teresa Martins.

18 outubro 2012

17 outubro 2012

Sombra

 
Já tenho saudades do Verão, do sol, da sombra... Este ano quase não gozei este guarda-sol. Só me lembro de estar aqui sentada a ler uma parte de "O filho de mil homens". Fica a imagem da sombra da palmeira e a esperança do próximo Verão.

12 outubro 2012

Rendilhado

 
É espantosa a arte e paciência de quem fez esta renda sem agulha nem linha. Durante dois séculos homens anónimos trabalharam para nos deixarem esta maravilha que não nos cansamos de olhar e com que nos maravilhamos.

10 outubro 2012

Estalagem Parque do Rio

Sempre gostei desta fotografia. Pela cor do revestimento da parede, pelo remate inferior de flores e pelo sorriso do Martim. Foi tirada em 2009 na Estalagem Parque do Rio em Fão. Hoje o meu neto está maior que eu... também não é difícil...

06 outubro 2012

Convento de Jesus

 A Igreja do Convento de Jesus, em Setúbal, encantou-me desde a primeira vez que a vi há muitos, muitos anos. Continuo a considerá-la lindíssima. Ficam aqui alguns pormenores.

04 outubro 2012

Luisa Todi


Luísa Todi nasceu em Setúbal, na freguesia de Nossa Senhora da Anunciada, a 9 de janeiro de 1753, na atual Rua da Brasileira, não criando grandes raízes na cidade, pois os pais mudaram-se para Lisboa ainda ela era de tenra idade.
Luísa Rosa de Aguiar, nome de solteira, estreou-se, ainda como atriz, em 1767 ou 1768, no teatro montado na propriedade do Conde de Soure, em Lisboa, recitando, com a irmã, as falas das personagens de Tartufo, de Molière.
Foi, também, aí que Luísa Aguiar conheceu Francesco Saverio Todi, violinista de origem italiana.
Em 28 de julho de 1769, com apenas 16 anos de idade, Luísa casou com Todi, na Igreja de Nossa Senhora das Mercês, indo habitar no Pátio do Conde de Soure, perto do Teatro.
Um ano após o casamento, atuou no mesmo teatro, onde se estreou como atriz, mas, desta vez, como cantora, na ópera "Il Viaggiatore Ridicolo", de Guiseppe Scolari. A partir desse momento, a carreira de Luísa Todi tomou outro rumo, apresentando-se logo no ano seguinte em Londres.
As críticas dos jornais, mesmo os estrangeiros, em relação à cantora não eram modestas, elogiando as capacidades vocais, o relevo que dava à expressividade e à emoção na caracterização das personagens que interpretava.
Londres, Paris, Berlim, Turim, Varsóvia, Veneza, Viena, São Petersburgo foram algumas das cidades em que Luísa Todi passou largas temporadas, alcançando consideráveis êxitos.
 
(ver mais aqui)

O céu para lá das janelas