29 fevereiro 2008

Igreja de Santo António dos Olivais - Coimbra

Situada no cimo da colina de Santo António dos Olivais, onde anteriormente ficava a Capela de Santo Antão, doada por Dona Urraca aos franciscanos.

A escadaria, monumental e de tipo popular, foi construída no século XVIII e adaptada à rampa natural da colina. É composta por trinta degraus de pedra divididos em seis lanços e ladeada por seis capelas. A frontaria é da primeira metade do século XVIII. Sóbria e de boas linhas arquitectónicas.

As capelas da escadaria tem azulejos de orelha, esmaltados de verde e cor de mel. O átrio está guarnecido de azulejos de motivos independentes, mas de melhor qualidade que os das capelas da escadaria.

Os azulejos revestem uma boa parte do interior da igreja e anexos. Os azulejos do interior da igreja revestem as paredes quase até ao arranque da abóbada. São da primeira metade do século XVIII. Representam cenas da vida de santo António.

O púlpito é de linhas simples. José Barata executou, em princípios deste século, uma bela e artística pia baptismal, em estilo revivalista, colocada junto ao altar de S. José.

O interior da igreja é de uma só nave, de traçado rebaixado e de lunetos, com abóbada de tijolo. As paredes estão revestidas, quase até ao arranque da abóbada, com painéis de azulejos. De cada lado do arco cruzeiro está um altar: o de S. José do lado direito e o de Santo António do lado esquerdo.

Porta de entrada na Igreja.

Para saber mais clique aqui

27 fevereiro 2008

26 fevereiro 2008

24 fevereiro 2008

Falta de educação da Ministra da Educação

Este mês a ministra da educação foi à Assembleia da República e alguns deputados do PS questionaram-na sobre algumas das suas políticas da educação.Confrontada com essas dúvidas o que faz a ministra não responde mas acusa os deputados de, ao colocarem dúvidas, estarem a dar voz aos "professorzecos"...

Esta notícia foi publicada no Público, mas passou praticamente despercebida, divulguem-na para que se perceba o calibre desta ministra.

http://educar.files.wordpress.com/2008/01/ps.jpg

O abandono na Foz

Quando eu regressei ao Porto, em 1977, os donos desta casa já não a habitavam. No portão grande trabalhava um sapateiro onde eu me habituei a levar o calçado da família. Passados uns anos, também o sapateiro desapareceu e todas as portas e janelas se fecharam.
Desde então, esta lindíssima casa mantêm-se num abandono que dói, na Avenida Brasil, na Foz do Douro.

23 fevereiro 2008

Parabéns, Paulo!

A melhor prenda que podias ter, era estar junto da Teresa, da Mafalda e do Lourenço na vossa casa. Essa já a tens.

Deixo-te esta fotografia. Lembra Esposende, terra a que tanto estás ligado, e lembra a capela de S. Lourenço, onde a Mafalda foi baptizada e onde o Lourenço também será.
Um beijo amigo de parabéns pelo dia de hoje, e de felicidades para sempre.

Lembrando Zeca Afonso

No dia em que faz anos que José Afonso morreu.
Uma lápide colocada numa casa junto da Sé Velha, em Coimbra.

22 fevereiro 2008

Já fui pequenina...

... e passava meses e meses na Silvã de Cima (que ninguém conhece) em casa dos meus avós maternos. Uma aldeia perto de Mangualde onde a luz eléctrica chegou quando eu já era grande.
A minha avó foi a pessoa que mais marcou a minha infância e que me deixou quando eu só tinha 14 anos. Fez-me e faz-me falta.

21 fevereiro 2008

Complexidade do simplex


(clique para poder ler)

É assim que se avaliam os professores. Nada mais simples. E é para implementar este ano. "Na educação não temos tempo a perder" - disse o PM. É preciso fazer tudo já. Mal. Mas já.

20 fevereiro 2008

Três anos de maioria absoluta

Espero que seja a última. As maiorias absolutas provocam autismo.

Confessionário

Um confessionário antigo de uma Igreja lindíssima - a Igreja de Santo António dos Olivais, em Coimbra.

Preciso de me ir confessar pelos nomes feios que tenho chamado ao Primeiro Ministro e ao seu rebanho. Claro que só digo estas coisas dentro das paredes da minha casa. Eu sei que os bufos andam por aí e os castigos também. Veja-se o que aconteceu aos dois técnicos da CCDR Centro que, no cumprimento dos seus deveres profissionais, tiveram a ousadia de dar um parecer desfavorável ao traçado do TGV quando o grande chefe queria um parecer favorável.

19 fevereiro 2008

Lei 3/2008 de 18 de Janeiro

Artº 22
2 – Sempre que um aluno, independentemente da natureza das faltas atinja um número total …, ou, tratando-se exclusivamente de faltas injustificadas, … o dobro de tempos semanais, por disciplina, …, deve realizar-se, logo que avaliados os efeitos da aplicação das medidas correctivas referidas no número anterior (convocar aos Pais ou comunicar à Comissão de Protecção de Crianças e jovens), uma prova de recuperação, na disciplina ou disciplinas em que ultrapassou aquele limite…
3 – Quando o aluno não obtém aprovação na prova referida no número anterior, o conselho de turma pondera a justificação ou injustificação das faltas dadas, … podendo determinar:
a) o cumprimento de um plano de acompanhamento especial e a consequente realização de uma nova prova.

Quer isto dizer que o falta “porque sim” e castiga-se o professor obrigando-o a elaborar e corrigir uma prova para esse aluno. O aluno que faltou não sabe nada para “obter aprovação” na dita prova. Castiga-se novamente o professor obrigando-o a elaborar um plano de acompanhamento especial e a elaboração e correcção de nova prova.
A lei nada diz sobre uma nova não aprovação na nova prova. Será para continuar assim até às férias do professor? E se muitos alunos forem faltosos, o professor passa a vida a elaborar e corrigir provas. Prejudicam-se os cumpridores.

A isto, esta equipa ministerial chama educação…

O sonho

Pelo sonho é que vamos,
comovidos e mudos.


(Com este Governo, só mesmo pelo sonho é que vamos)

Chegamos? Não chegamos?


(Com este Governo chegamos onde o grande chefe quer. Não chegamos a bom porto)

Haja ou não haja frutos,
pelo sonho é que vamos.


(Com este Governo não há mesmo frutos mas, para já, ainda há o sonho)

Basta a fé no que temos.
Basta a esperança naquilo
que talvez não teremos.

(Com este Governo resta-nos a conformação naquilo que temos e a certeza de que nada teremos)

Basta que a alma demos,
com a mesma alegria,
ao que desconhecemos
e ao que é do dia a dia.


(Com este Governo nada desconhecemos; já era bom se o ordenado chegasse para o dia a dia)

O poema é do Sebastião da Gama. Os comentários são de uma cidadã desiludida, descrente, desanimada, revoltada, farta destes governantes, destes políticos e destas políticas.
E a Espanha aqui tão perto...

18 fevereiro 2008

40 portugueses felizes neste momento

Os 40 professores socialistas que reuniram com Sócrates estão felizes com as palavras ditas, há pouco, pelo PM na SIC.
Demagogia pura de quem não faz a mais remota ideia do que passa nas escolas. A última vez que "viveu" uma escola, esta não era nada (absolutamente nada) do que é hoje.
Talvez um dia destes tenha tempo para comentar este logro.

Vamos à pesca!


Temos aqui tudo.

17 fevereiro 2008

A velha Universidade de Coimbra

Aqui fiz as disciplinas das Químicas,


aqui as disciplinas das Físicas e a inesquecível Mineralogia (que detestei),

e aqui as disciplinas de Desenho.

Belos tempos...

15 fevereiro 2008

14 fevereiro 2008

Coimbra

A caminho da Sé Velha vinda da Rua Ferreira Borges.



Da minha janela

Parece que a Primavera está a caminho...

13 fevereiro 2008

Ramalhete

Há muitos anos, parei muitas vezes à frente desta casa lindíssima para deixar ou buscar as minhas filhas que aqui andaram até ao final da quarta classe (hoje quarto ano do primeiro ciclo) - o Colégio Ramalhete, na Rua do Passeio Alegre.

Está bravo!

11 fevereiro 2008

A "alta"

A "alta" de Coimbra vista do lado de lá do rio

De dia...

... e de noite.

09 fevereiro 2008

Parabéns

Este papagaio está aqui para cantar connosco "Parabéns a você..." ao Lourenço que faz hoje 2 meses.

08 fevereiro 2008

Sé Velha

Portão da Sé Velha - Coimbra