30 novembro 2014

Almas

A caminho de Sernancelhe, surge a placa indicativa de Almas. Junto à estrada umas quantas casas bonitas e esta capela que eu achei encantadora.

Aqui ouve-se o silêncio



26 novembro 2014

Museu de Arte e Arqueologia do Vale do Côa

Os Arquitectos Camilo Rebelo e Tiago Pimentel foram extremamente felizes nesta obra. É um enorme monólito de betão, com uma textura semelhante à do xisto, semi-enterrado no cimo de um monte e perfeitamente integrado na paisagem.
Ainda lá não tinha ido e fiquei deslumbrada com o museu, com a paisagem do museu e com a exposição patente no museu. Maravilhoso!

25 novembro 2014

Castelo de Longroiva

 A região de Longroiva é ocupada desde a pré-história, nela se fixaram, romanos, visigodos e os árabes, a quem o rei de Leão, Fernando Magno, reconquistou a região.   Integrado no território do Condado Portucalense, é já depois da independência portuguesa, entregue à Ordem do Templo, por D. Afonso Henriques, por volta de 1145.   No reinado de D. Dinis, com a extinção da ordem do templo, Longroiva é entregue à Ordem de Cristo, posse que se manteve pelo menos até meados do século XVI.  No século XIX, a culminar a degradação que se foi apossando desta fortificação, face ao seu abandono, o castelo passou a servir como fornecimento de pedra para construção e o interior do castelo foi transformado em cemitério.   O que resta do castelo, está classificado como Monumento Nacional, os trabalhos de conservação permitiram que ainda subsistam partes das muralhas e a Torre de Menagem que terá sido uma das primeiras a ser edificada em Portugal.  

22 novembro 2014

Longroiva


Mais uma voltinha na zona de Marialva e eis que, ao sair de uma curva, nos surge em baixo Longroiva. No pouco tempo que lá estive, dei uma volta pela zona do Castelo. Hoje fica aqui a Igreja e a torre sineira.




20 novembro 2014

Marialva

E depois de um jantar inesquecível, pelo que nos foi servido e pelo ambiente maravilhoso,...
 ... o adeus a Marialva. 
Oxalá seja... até breve!

18 novembro 2014

Marialva

 Uma das suites das Casas do Côro com uma das Torres do Castelo por trás.

17 novembro 2014

Marialva

Mais um alojamento turístico bonito em Marialva - as Casas do Cruzeiro.

16 novembro 2014

15 novembro 2014

11 novembro 2014

Castelo de Marialva

O Castelo de Marialva ergue-se num esporão, a 613 metros de altitude, sobranceiro ao extenso vale que constituiu o rebordo mais ocidental da Meseta Ibérica. As origens do povoamento deste local são difíceis de precisar por falta de estudos arqueológicos.
A filha do último Conde de Marialva, D. Guiomar, viria a casar como Infante D. Fernando, a quem deveremos atribuir a enorme campanha de obras de restruturação da vila e da fortaleza concluídas em 1559.
O castelo compunha-se de ampla muralha de configuração ovalada, construída em grandes silhares de pedra granítica da região e adaptada às condições topográficas da área em que foi implantada. Esta cerca viria a ser reforçada, no século XIV, por três torreões de planta quadrangular denominados do Relógio, do Monte e dos Namorados. No seu interior, em cota bastante elevada, sobressaindo de um imenso maciço rochoso, a Torre de Menagem dominava toda a malha urbana. Trata-se de um edifício possivelmente, dionisino, de planta quase trapezoidal, completado e acrescentado mais tarde.
A cerca e a cisterna em tijolo forrado de argamassa, localizada dentro do recinto devem ser obra dos inícios do século XVI.

08 novembro 2014

Marialva

 O granito, a latada, o alpendre... Beira Alta.

06 novembro 2014

Casas do Côro

Estar na piscina das Casas do Côro e ver o Castelo de Marialva é um luxo a que, graças a uma prenda anos, eu me pude dar.

05 novembro 2014

Casas do Côro

 Mais uns pormenores exteriores das Casas do Côro.

03 novembro 2014

Casas do Côro

 Nas Casas do Côro, que ocupam muitas das casinhas típicas de Marialva, tudo é bonito. A cada passo apetece parar e tirar uma fotografia. Cada pormenor merece atenção, é lindo, é acolhedor, é de bom gosto. 

02 novembro 2014

Marialva

Depois de deixar Ranhados, passámos a Mêda e, depois de uma lomba aparece Marialva. 
Numa vasta eminência rochosa, a 580 metros de altitude, sobranceira aos campos da Devesa atravessados pela ribeira de Marialva, situa-se a parte antiga desta povoação. Marialva é hoje uma das dezasseis aldeias e freguesias do concelho de Mêda cujos vestígios monumentais guardam a memória de um passado bem mais importante do que à primeira vista parece deixar antever a quem a visita.
Marialva é sem dúvida um legado histórico importantíssimo que chegou até aos nossos dias. Nele podemos reavivar as memórias da nossa história.