01 julho 2010

Roteiros das Esculturas de Matosinhos

Inserido no Julho Cultural da USFE, realizou-se hoje o Roteiro das Esculturas de Matosinhos.
O Professor Cunha e Silva foi o nosso excelente guia, como é costume.

Começámos por ver, na Praça dos Pescadores, a escultura de homenagem ao pescador de Rogério Azevedo. Numa terra que foi de pescadores, é justo que se lhes preste homenagem.
Depois das explicações preciosas do Professor Cunha e Silva, partimos para a Praça Guilhermina Suggia.
Memorial ao Pescador de Matosinhos da autoria de Irene Vilar. O que aprendemos sobre esta escultura! A sua orientação, os excertos de poemas de Fernando Pessoa nos pontos cardeais,... tudo tem uma explicação.
Na Av. Afonso Henriques parámos para ver a escultura a Guilhermina Suggia, junto da casa onde viveu sua irmã - a pianista Virgínia Suggia.
A lenda sobre o aparecimento dos primeiros instrumentos de cordas, a vida das irmãs Suggia,... tudo nos foi explicado junto à escultura de Helder de Carvalho.
Na mesma avenida parámos junto ao Monumento de homenagem ao Teatro na Memória de João Guedes e seus companheiros Augusto Gomes e Júlio Gesta, da autoria de M. Sousa Pereira.

Seguimos para o Jardim Basílo Teles onde está o Padrão com Medalhão a Basílio Teles.
Aqui, o Professor Cunha e Silva preparou-nos uma surpresa. Um grupo de crianças do Externato Bom Jesus que representaram o sketch "O tal de Matosinhos". Uma ternura. Nós e as crianças ficámos a saber muito sobre vida de Basílio Teles.
Depois de um café no Café Lua, dirigimo-nos à Máscara de Florbela Espanca, obra de Irene Vilar.
O Professor Cunha e Silva deu-nos mais uma lição sobre esta escultura e o aluno António Oliveira leu um poema de Florbela Espanca. Tudo foi ouvido com o maior interesse.
Acabámos a nossa manhã na Praia de Matosinhos junto ao Grupo Escultórico de Homenagem aos Pescadores de Matosinhos, obra de José João Brito.
Esta escultura, situada no areal, lembra o naufrágio de 1 de Dezembro de 1947 e é uma visão tridimensional, de José João Brito, de um célebre quadro de Augusto Gomes.
Junto a este Grupo Escultórico o António Oliveira leu um texto do Professor Cunha e Silva.
Uma actividade incluída no Julho Cultural da USFE que enriqueceu muito todos os que dela participaram. A partir de hoje, todos os alunos vão olhar para estas esculturas com uma visão completamente nova e bem mais valorizada.

2 comentários:

heretico disse...

bem interessante.
gostei de saber...

beijos

Graça Pimentel disse...

heretico
O que eu tenho aprendido na Universidade Sénior Florbela Espanca! Tanta coisa que eu agora vejo com outros olhos!

beijinho