24 março 2011

Primavera

Acácias perfumadas,
florescem sorridentes;
e em seus ramos pendentes,
avezinhas delicadas,
fazem seu ninho, seu lar!
Já lá vem a Primavera!...
Quanto amor, quanta quimera,
ela me vem relembrar?!
Andam p’lo ar, misteriosos
segredos, que são desejos.
Há gemidos dolorosos…
Há amor… sentem-se beijos…
Perfumes inebriantes,
andam perdidos no espaço.
As campinas verdejantes
têm flores no regaço!...
Em bandos, em revoadas,
pombas brancas… lá vão elas…
Asas pandas… prateadas…
lembram brancas caravelas.
A Primavera odorante,
que a minh’alma deseja;
traz-me à mente hinos de igreja
e a minha infância distante.
Eu te saúdo contente,
nestes versos incolores.
Desejava tão somente,
ser poeta entre os maiores,
para em quadras singelas,
em versos embaladores,
descrever as lindas telas,
desta quadra de amores!...


Mário Mariano

A Primavera veio linda e radiosa no dia aprazado. Deve ter ido hoje para fim de semana prolongado. Aguardo ansiosa o seu regresso.

2 comentários:

mfc disse...

Faltou-nos durante demasiado tempo, mas finalmente chegou!

Graça Pimentel disse...

mfc
Chegou, foi embora e voltou hoje.

beijo