17 abril 2014

17 de Abril de 1969

Foi na inauguração deste edifício, que no dia 17 de Abril de 1969, começou a crise estudantil de Coimbra.
Foi à entrada deste edifício que o meu Pai, médico militar, que era uma das individualidades convidadas para a inauguração por ser, na altura, a mais alta individualidade dos Serviços de Saúde Militar de Coimbra, foi enxovalhado, chamado de “palhaço”, “fantoche” e outros nomes bem piores. Na sequência desse incidente, o Presidente da Associação Académica, Alberto Martins, foi preso e eu defendi-o perante o meu Pai. Era tão ingénua que acreditei que aquele movimento não era político e que o que estava em causa era a defesa do ensino superior. O meu Pai bem me avisou mas a minha rebeldia de jovem universitária falou mais alto. Hoje tenho o dito senhor no Parlamento. Se arrependimento matasse… D. Dinis assistiu a tudo imóvel, petrificado.
Foram maus momentos que se viveram em casa dos meus Pais, com as três filhas mais velhas na Faculdade. Foi um dia que marcou negativamente a minha relação com o meu Pai. Tempos que eu queria esquecer mas que todos os anos, neste dia, me vêm à memória. É um dia que fica na história do país e da minha vida.

2 comentários:

Mona Lisa disse...

Um pouco da "irresponsabilidade" da juventude.

Não tens que te culpar, embora te entenda!

Beijinhos.

Graça Pimentel disse...

Mona Lisa
Não me culpo. Apenas me entristeço...
Mas faz parte da minha vida.

beijinho