05 dezembro 2014

Pelourinho de Sernancelhe

Situada entre as serras da Lapa e da Zebreira, e junto ao Rio Távora, nas denominadas Terras do Demo, numa zona de particular beleza natural, as origens de Sernancelhe perdem-se no tempo. 
Erigido no centro das actividades da povoação, fronteiro à residência da família Fraga de Azevedo que foi, há muito, utilizada para outras finalidades, designadamente camarárias e judiciárias, o pelourinho (1554) inscreve-se, do ponto vista arquitectónico e decorativo, no denominado estilo manuelino, resultando de uma reformulação conduzida no tempo de D. João III (1502-1557), assim como de uma pequena intervenção de restauro efectuada já na década de cinquenta de novecentos. 
De "gaiola" estilizada e afeiçoado numa das matérias-primas mais abundantes na zona - granito -, o pelourinho, com mais de nove metros de altura, é constituído por plataforma de três degraus octogonais sobre a qual assenta base de um único degrau de igual configuração, como octogonal é o fuste (com seis metros de altura) que nele se eleva, e em cujo capitel, tronco-piramidal oitavado, foi gravado o sobredito ano. Quanto ao remate, ele é formado por oito colunelos cilíndricos e lavrados ligados à parte superior da "gaiola" sustentada por esteio interior, e sobre a qual se eleva pináculo composto de gola encimado por pomo no qual se crava grimpa de ferro com cruz. 

2 comentários:

Mona Lisa disse...

Adoro pelourinhos . Penso que só fotografei um pelourinho de gaiola. O de Barcelos.


As tuas fotos estão belíssimas, muito bem enquadradas.

Beijinhos.

Graça Pimentel disse...

Mona Lisa
O pelourinho também é muito lindo e também muito bem localizado.

beijinho