06 setembro 2011

Fica o vazio e uma imensa saudade

VIDA

Um dia acaba...
Outro dia virá...
Um após outro,
compondo a sinfonia dos meses...
..dos anos...
..dos séculos...
Árvores nuas vestir-se-ão,
para se despirem de novo,
e de novo se vestirem...
Num ritmo anunciado...
...quais mulheres de rua
em serão atarefado...
E, por mais que o Homem tente
acabar com o previsto,
surgirão flores
em todas as Primaveras...
E por mais que o Homem se esforce
para cobrir de neve
esta esfera mal redonda
que vai por aí fora,
sem parança,
tantas vezes mal tratada,
o sol brilhará
em cada manhã
de cada novo dia...
..em cada nova hora...
E por mais que o Homem perca
os traços de humanidade
que outrora foram impressos
na sua alma endurecida,
escurecida,
enfurecida,
haverá sempre uma réstea,
um ténue traço,
meio apagado embora,
daquilo que em tempos foi...
E por mais que o Homem se esqueça
de todos os meninos
que estão a morrer
nos mil Timores por aí,
existirá sempre
um novo vagido,
um novo sorriso,
uma nova voz,
para pronunciar
a mais doce das palavras...
"Mãe...
Mãe... Mãe...
Mãe... Terra...
Mãe minha...
Mãe nossa...
Mãe de guerra...
Que no choro dos teus rios,
No grito dos teus ventos,
Perdoas os desvarios
que vivem nos meus intentos...
E enquanto o eco dessa voz
ressoar na imensidão,
confiemos em nós...
Nem tudo estará perdido...
Nem tudo será em vão ...
Ainda fará sentido
a dádiva estremecida
que julgávamos perdida...
A Vida...


António Magalhães Pinto

Não podias ir embora sem te despedires. Não se deixam assim os amigos com um nó no coração embrulhados em saudade. Por que foste?
Tu sabias que nós precisávamos de ti no clube e nos nossos corações e sabias que as lágrimas não matam a tua falta. Por que foste?
Ainda ontem por esta hora estávamos em reunião de trabalho. Tu deixaste imensas dicas. No final falaste com tanto entusiasmo do livro que ias lançar no dia 14. Por que foste?
Hoje vi-te tão branco, tão sem sorriso, tão sem vida. Por que foste?

"Outro dia virá" mas já sem ti. "As ávores nuas vestir-se-ão" mas tu não as poderás ver. "Surgirão flores em todas as primaveras" mas tu não sentirás o seu perfume. "O sol brilhará em cada manhã" mas não te aquecerá.
"Nem tudo estará perdido" porque a tua lembrança fica sempre connosco. "Nem tudo será em vão" porque a tua marca fica em cada um dos que tiveram a sorte de se cruzarem contigo. "A vida" é muito cruel. Muito injusta. 
Quem vai publicar os teus poemas?

Um beijo António Magalhães Pinto. Até sempre.

6 comentários:

mfc disse...

Uma lindíssima homenagem!
Toma um grande xi,

Graça Pimentel disse...

mfc
Obrigada pelo xi que bem preciso. Também precisava de dormir mas o que passei durante o dia afastou completamente o sono.
Beijinho

Gaivota Maria disse...

Sinto-me como tivesse perdido um irmão muito querido. Como vão ser as reuniões e encontros sem a voz rouca dele, as suas gargalhadas engasgadas e aquele ar de catraio que revelava quando estava feliz?
Vamos fazer por sentir sempre a sua presença e esquecer a ausência. Um beijo grande para ti,minha amiga na dor

Graça Pimentel disse...

Gaivota Maria
Não sei como vou fazer este luto. Ainda não interiorizei a perda definitiva deste amigo tão querido. Só quando conseguie deitar umas lágrimas é que vou conseguir dormir em paz.
Para o clube foi uma catástrofe ainda por cima num ano como este. não há mais ninguém para dar "o murro na mesa".
E eu fiquei orfã de padrinho e acho que vou ficar perdida.
Dizem que o tempo cura tudo. Oxalá assim seja.

Um beijo grande "amiga na dor"

cidissima disse...

Linda homenagem!
O tudo para ele será pouco.
Conheci Magalhães Pinto há mais ou menos quatro anos.
Nossa amizade virtual começou quando pela primeira vez fiz um comentário no seu blog. De lá para cá nunca mais deixei de fazê-lo.
Sempre gostei dos assuntos que ele postava.
Criei o hábito de acessá-lo diariamente.
Pessoa inteligente, elegante, séria e respeitosa.
Seu gosto musical era muito fino e criterioso.
Sua cidade, Matosinhos, ele exaltava com grande orgulho.
Benfica, seu time do coração.
Jamais esquecerei meu grande amigo de tão longe mas muito perto no espiritual.
Receba meus cumprimentos de amizade!

Aparecida Evangelista de Ribeirão Preto – SP - Brasil

Graça Pimentel disse...

Obrigada, Aparecida, pelas palavras. Este post foi a minha singela homenagem a um grande, grande amigo. A uma pessoa que amava a vida e não parava de trabalhar.

Um beijo