17 novembro 2011

O ano de Sophia

Na Universidade Sénior Florbela Espanca, este ano lectivo é o ano de Sophia. No Clube de Leitura, de que sou responsável, temos estado a falar de Sophia e a ler Sophia.
Na poesia de Sophia há vários conceitos-chave. O primeiro é, obviamente, o mar. Mas há mais. Um deles é a natureza. Este poema descreve uma paisagem que podíamos perfeitamente pintar.

Paisagem

Passavam pelo ar aves repentinas,
O cheiro da terra era fundo e amargo,
E ao longe as cavalgadas do mar largo
Sacudiam na areia as suas crinas.  

Era o céu azul, o campo verde, a terra escura,
Era a carne das árvores elástica e dura,
Eram as gotas de sangue da resina
E as folhas em que a luz se descombina.  

Eram os caminhos num ir lento,
Eram as mãos profundas do vento
Era o livre e luminoso chamamento
Da asa dos espaços fugitiva. 

Eram os pinheirais onde o céu poisa,
Era o peso e era a cor de cada coisa,
A sua quietude, secretamente viva,
E a sua exalação afirmativa.  

Era a verdade e a força do mar largo,
Cuja voz, quando se quebra, sobe,
Era o regresso sem fim e a claridade
Das praias onde a direito o vento corre.

Sophia de Mello Breyner

6 comentários:

Gaivota Maria disse...

Tenho pena de não ser tua aluna este ano. dava-me um gozo particular. Mas opções, são options. mas que tenho saudades vossas tenho. Beijinhos e boa sorte

cidissima disse...

Seu lirismo, fruto de uma invulgar sensibilidade feminina, semelha brotar das mesmas nascentes em que se abeberavam os poetas simbolistas e seus modernos continuadores. Sempre disposta a olhar dentro das coisas , sua intuição se avigora na razão direta das profundezas que alcança, mas jamais se intelectualiza ou se desfeminiza. Ao contrário, encantada pela aura mágica das coisas que contempla, seu universo poético abrange vastidões cósmicas, a principiar do mar, seu motivo preferido.

Cida

mfc disse...

Um poema lindo onde os sentidos interagem!

Beijos.

Graça Pimentel disse...

Gaivota Maria
Nunca serias minha aluna mas está a ser interessante esta primeira parte sobre a Sophia.
beijos

Graça Pimentel disse...

Cida
Bonitas palavras. É isso mesmo.

Graça Pimentel disse...

mfc
Um dos muitos poemas lindos de Sophia.
Beijo