12 abril 2012

Longe do mundo, perto do que é bom

O meu carro, que não trocava por um Porsche, levou-me para longe do mundo.
Uns verdes separavam-me do horizonte longínquo e que eu queria esbatido. Fugi de tudo, que não de todos. Foram uns dias de amena cavaqueira com gente querida, com boa comida, boa bebida e noites compridas onde só as cigarras tinham voz.
A boa vida é mesmo boa!

2 comentários:

mfc disse...

Gosto dessa pacatez tão agradável.
Beijinhos, Graça.

Graça Pimentel disse...

Foram uns dias deliciosos de que eu estava mesmo a precisar.

Beijo, Manel