26 setembro 2007

Poetas populares

Nos mais de 1000 livros que já limpei e inventariei, encontrei estes quatro volumes de "Poetas Populares". É um trabalho de compilação que o Dr. Fernando Cardoso elaborou na década de 70 e onde apresenta a poesia de barbeiros, calafates, ardinas, calceteiros, etc.
Aqui ficam, do 1º volume, uns pedacinhos esparsos ...

... de António Aleixo (1899-1949) - cauteleiro

Engraxadores sem caixa
há aos centos na cidade
que só usam da tal graxa
que envenena a sociedade.

Quantas sedas aí vão,
quantos brancos colarinhos,
são pedacinhos de pão
roubados aos pobrezinhos.

... de Manuel Alves (1843 - 1901) - cavador

Nobre e altivo Portugal,
Foste outrora o mais valente,
Hoje tão pobre e doente,
Inpério feito hospital
Saquearam-te o metal,
Altos senhores de cartola,
Partiu a doirada mola
À chave do teu dinheiro,
À porta do estrangeiro
Bates, pedindo esmola.

... de Silva Peixe (1902 - ?) - marinheiro

Honrado e pobre, longe de ilusões!
Pensador; esse dom que é muito meu!
Não sou ninguém nem tenho pretensões
De ser o que não sou. Quero ser EU.

... de Martinho Rita Bexiga (1913 - ?) - mecânico

Com teu Divino poder;
Meu Deus! se a gente merece,
Só tu nos podes valer
Grita o povo em alta prece.

... de José Maria da Silva (1860 - 1940) - serralheiro

A política! Que aversão m'inspira!
transforma o cordeiro em fera bruta,
Uma simples palavra em vil disputa,
A placidez em desmedida ira.

Atendendo às breves eleições no PSD, escolhi uns pedacinhos que tivessem algo a ver com política. Coitados dos sociais-democratas. Terem que escolher entre o mau e o péssimo!...

4 comentários:

Ka disse...

Graça,

Passo só a deixar um beijinho. Espero que esteja tudo bem :)

GP disse...

Um beijinho também, ka.

Tinta_Azul disse...

Afinal, é bom ter tido esses livros todos para limpar! Tantas coisas interessantes que descobriste e que nos deste aqui a conhecer.
O cheiro a mofo...isso passa!
beijos

GP disse...

Passa? Estou a ver isto difícil...

beijos