09 setembro 2008

Achados

Passei um bom pedaço à procura de poemas para as minhas aulas de Física e Química que começam para a semana. Acho que as físicas, as químicas e a poesia andam muito de mãos dadas e utilizo muito a poesia nas aulas, nomedamente para introdução a novos conteúdos. Este ano vou dar, depois de muitos, muitos anos, o som e a luz. E cá estive eu umas horas agarrada aos livros que tenho e à internet procurando. Ainda não encontrei o ideal mas passaram-me dois poemas que me apeteceu colocar aqui.

Tejo que levas as águas

Tejo que levas as águas
correndo de par em par
lava a cidade de mágoas
leva as mágoas para o mar.
Lava-a de crimes espantos
de roubos fomes terror
lava a cidade de quantos
do ódio fingem amor.
Lava bancos e empresas
dos comedores de dinheiro
que dos salários de tristeza
arrecadam lucro inteiro.
Lava palácios vivendas
casebres bairros de lata
leva negócios e rendas
que a uns farta a outros mata.
Leva nas águas as grades
de aço e silêncio forjadas
deixa soltar-se a verdade
das bocas amordaçadas.
Lava avenidas de vícios
vielas e amores venais
lava albergues e hospícios
cadeias e hospitais.
Afoga empenhos favores
vãs glórias ocas palmas
leva o poder de uns senhores
que compram corpos e almas.
Das camas de amor comprado
desata abraços de lodo
rostos corpos destroçados
lava-os com sal e iodo.
Tejo que levas as águas
correndo de par em par
lava a cidade de mágoas
leva as mágoas para o mar.

Manuel da Fonseca


Estatística

Quando eu nasci havia em Portugal
(em Portugal continental
e nas ridentes,
verdes e calmas
ilhas adjacentes)
uns seis milhões e umas tantas mil almas.
Assim se lia no meu livrinho de Corografia
de António Eusébio de Morais Soajos.
Hoje, graças aos progressos da Higiene e da Pedagogia,
já somos quase dez milhões de gajos.

António Gedeão

12 comentários:

ESCRIVA disse...

Que bom, Graça, ver-te deixar embalar pela poesia nas tuas disciplinas tão aparentemente cerradas a isso. Gostei

Graça Pimentel disse...

Obrigada, escriva.
Eu acho que nenhuma disciplina está cerrada à poesia. Ela deve estar em todas e em todas se aprende com ela.

Tinta Azul disse...

Como gosto de quem sabe que a poesia anda ligada com tudo...
beijinhos
:)

Graça Pimentel disse...

E eu gosto de quem gosta dos que sabem colocar a poesia no seu lugar - em toda a parte.

Beijoca de espera pelo jantar(?), almoço(?), lanche(?)...

Anónimo disse...

A poesia é sempre uma descoberta,obriga a olhar as palavras não pelo seu significado mas, pelo que podem dizer.Por isso muita gente não gosta de poesia.Dá trabalho pensar.Ainda bem que há PRORS,que a usam como suporte de trabalho em disciplinas como a sua.Quando poder leia"Memórias de Nova Iorque e outos Ensaios" de JOÃO LOBO ANTUNES .
É um livro admirável,pelas ligações que faz com todas as artes e ciências e onde a poesia está sempre presnte."EU SEI QUE NADA SEI" mas ,depois de o ler então é"QUE SEI QUE NADA SEI, E QUE TENHO QUE SABER OLHAR O QUE OS OLHOS NÃO VÊEM".



Posso emprestar o meu

um ventinho doce

"O físico NIELS BOHR e o poeta ROBERT FROST conheceram-se em AMHERST em 1923, e há traços de mecânica quântica na poesia de FROST...." in obra citada

este bocadinho foi só para aguçar a curiosidade

Graça Pimentel disse...

ventinho
O objectivo foi conseguido. Fiquei roidinha de curiosidade.
Tenho que comprar o livro porque eu leio com os olhos e com a lapiseira. Daí que me seja difícil ler livros emprestados.
Antes das férias tive que ler um emprestado porque já não há à venda, infelizmente. Era uma das obras da comunidade de leitores onde estou. Foi "Desconhecido nesta morada" de Kathrine Kressmann Taylor. Um livro espantoso que mereceu uma análise igualmente espantosa.
Quanto à poesia, é-me imprecindível nas aulas. O poeta que mais serve os meus intentos é o António Gedeão que nada tem sobre luz e som para a faixa etária do 8º ano.

A minha vida parece estar a compor-se, dentro das condicionantes que conhece.

Beijinho grande de até breve

Parapeito disse...

Gosto de ambos os poetas :)
o primeiro livro do Manuel que li foi o Poesia Militante...adorei...o Torga é o meu poeta de cabeceira :)
Boas escolhas.
Gostei de ver a senhora professora no parapeito...
Bom inicio de aulas.
e um bom fim de semana****

Graça Pimentel disse...

parapeito
Cá estamos de regresso aos trabalhos, quantos deles inglórios.
Foram os poemas que estavam mais de acordo com a minha disposição mas que nada tinham a ver com o que eu peocurava.
A "senhora professora" vai passar a debruçar-se do parapeito mais vezes... quando s resposta desejada chegar.

Beijinho e bom fim de semana

WOLKENGEDANKEN disse...

Que concepto mais interessante ! E como reagem os estudantes ?? funciona ??

cumprimentos nocturnos

Graça Pimentel disse...

wolkengedanken
Os alunos leem pouco mas gostam que se lhes leia. Há imensos poemas que me servem para introduzir conceitos físicos e químicos. Uso muito a poesia nas aulas e consigo que eles fiquem superatentos. Já encontrei um poema para o "som" e outro para a "luz". Aliás arranjei mais mas ficam para um outro qualquer momento.

beijinho

WOLKENGEDANKEN disse...

Pois parabens pela ideia !

Graça Pimentel disse...

Obrigada, wolkwngedanken!