06 setembro 2008

Cidade dos estudantes

O Programa Polis, em Coimbra, requalificou (e bem) a zona ribeirinha que hoje faz parte do dia a dia da cidade.
A aproveitar este belo espaço, estava eu...

... os apredizes da vela...

... os patos...

... e os pescadores.


22 comentários:

Duarte disse...

Que bonito e que original. Não conhecia isto. Que pouco conheço do meu Portugal.
Obrigado por trazer-me estas imagens tão belas.

Graça Pimentel disse...

duarte
Um dos males dos portugueses é conhecerem mal o seu país. Por isso, de há uns anos para cá, destino uma das semanas de férias para conhecer uma terra portuguesa. Coimbra não conta porque vivi lá, estudei lá e tenho lá a minha mãe e duas das minhas irmãs. É uma cidade a que vou com frequência.
Esta zona nova está muito bonita. Vale a pena passar aqui uma tarde...

mdsol disse...

Que bonitas fotogtafias! EStas a ver GP tu poes-me a olhar as coisas com olhos de outro ver!

beijinho
.)

WOLKENGEDANKEN disse...

Mais um motivo para visitar outra vez Coimbra a proxima ocasiao. Adoro os espacos bem aproveitados a beira de rios. No caso de Lisboa é um tema triste !!
um bom domingo :))

Gaivota Maria disse...

Será que o programa Polis aplicado em Coimbra tem algum parentesco com o nosso de Matosinhos? Cheira-me que o de cá é uma interpretação local que só serviu para uma distribuição pouco clara de dinheiros a muita gente, camuflada através da construção de uma marginal atamancada e com material de péssima qualidade e mudar o nome da praia que passou a utilizar o de uma falecida do lado de Leça!... Homenagem, ignorância ou presunção de fazer diferente?
Um abraço

mfc disse...

... e mais umas lindíssimas imagens.

Antunes Ferreira disse...

LISBOA * PORTUGAL
ferreihenrique@gmail.com


Boas

Olá! Passei de novo por aqui para saber de ti e das tuas coisas. Parece-me que vão óptimas. Parabéns! Já to disse, mas repito, que gosto deste blogue. Voltarei, um destes dias. Tu merece-lo; e, além disso dá-me um ganda gozo!

Continuo a esperar-te também no meu Travessa do Ferreira (www.travessadoferreira.blogspot.com). Se não, vai lá pela primeira vez. Não custa nada – nem dói… Palavra que ficarei muito contente. Avinça!.
Qjs/Abs

Anónimo disse...

E,o vento está serenamente à espera duma ida a essas terras pela mão da GP.

O VENTO manda muitos abraços para ajudar a suportar um novo ano escolar

Graça Pimentel disse...

mdsol
Que palavras lindas! Só espero que os olhos do outro ver te façam ver coisas bonitas.
Quando vires que consegues ir a Coimbra, diz que eu levo-te a ver tudo sem ser em fotografia

Beijinho grande

Graça Pimentel disse...

wolkengedanken
Esta parte do programa Polis foi bem conseguido. Vai lá que vale a pena. Se precisares de guia, é só dizer.

Boa semana

Graça Pimentel disse...

gaivora maria
O programa Polis de Coimbra nada tem a ver com o nosso. Aqui temoa uma marginal apenas com pedra, ou lá o que é aquilo. Nem uma sombra, nem um banco, nem um café, nem um guarda-sol...
Os arquitectos nortenhos de renome (que para mim deixam bastante a desejar) só conhecem esse material...
Essa do nome da praia tens que ma ensinar. Desconheço. Quem é a falecida?

Até breve

Graça Pimentel disse...

Obrigada, mfc. Sempre gentil.

Boa semana

Graça Pimentel disse...

antunes ferreira
Que ingratidão! Já visitei a tua travessa mais do que uma vez e deixei comentarios. Efectivamente não doeu nada. Até gostei v«bastante. Se alguém anda a censurar os meus comentários, o problema é grave...
Fico contente por ter um "espaço" que te dá um "ganda gozo". Podes vir gozar quando quiseres...
Um dia destes volto à travessa com calma. Neste momento estou só a entreter a insónia...

Beijo

Graça Pimentel disse...

Vento
Apresento-me amanhã ao serviço. Daí a insónia...
Mal tenha um tempinho, entregá-lo-ei ao vento... Não está esquecido.

Beijo grande de até breve

Gaivota Maria disse...

Nunca ouviste falar da Praia do Titã? Já sei que não és da nossa urbe, mas mereces saber. Quando foi construído o molhe norte do porto de abrigo de Leça, vulgo 1ª doca, a pedra veio de perto de tua casa, da pedreira de S. Gens. Um enorme monstro de ferro a que se chama guindaste foi instalado no lado norte para fazer a construção do porto. Era o Titã grande. Isto nos finais do séc. XIX. Depois fez-se o molhe sul com um titã mais pequeno. Ambos ainda continuam nos seus sítios. Sob o Titâ norte, em Leça nasceu uma praia onde foram vividos grandes amores locais. A Norte do molhe era a Praia de Leça. A sul a do Titã. Em Matosinhos a nossa quase miniatura não deu nome a nada. A praia chamava-se praia de Matosinhos e era dividida em Praia Nova, Moderna e Azul. A chegada da Polis acabou com as barracas e banheiros. Abriram-se bares e o primeiro foi buscar o seu nome ao desgraçado do guindaste que fica quase no fim do molhe sul. Assim surgiu a célebre Praia do Titan em Matosinhos. Ando há anos a remar contra a maré mas não consigo convencer os inteligentes desta parvónia. Que chamem Titã ao bar, tudo bem, mas à praia!... Já tentei conversar com os responsáveis da Polis mas são uns senhores tão importantes que pairam e não aterram. Ninguém sabem quem são. Antes fossem gaivotas. Sempre aterravam. Vou-te mandar as fotos que arranjei dos dois Titâs. BJ GM

Graça Pimentel disse...

gaivota
Não sabia que a praia de Matosinhos tinha sido baptizada como Titan de Matosinhos. Cheira-me a Narciso Miranda...
Por falar em Narciso... O meu prédio tem três frentes. Quando comprei o meu "castelo", tivemos que esperar que o Narciso desse noma às três ruas. Imagina quais? à frente, Av. Luís Azevedo Coutinho, nas traseiras, Rua Luis Azevedo Coutinho e ao lado, Travessa Luis Azevedo Coutinho. A criatividade é surpreendente...
Narcisisses...

Beijinho

Gaivota Maria disse...

Claro que esse nome polístico só poderia ter sido posto pela personagem em causa. O mesmo que chamou de Atlântico à Marginal (saudades do rebolado brasileiro?).
Mas a da tua casa passou-me. Só por isso deves apoiar a candidatura dele. Pelo menos é uma segurança do carteiro reconhecer o lugar. Graças a Deus que te mando os informes por email. Gostava de saber quem o patrono da tua rua. É que a comissão de toponímia deste concelho é perita em por nomes de desconhecidos locais nas artérias. E eu que ando sempre à volta da História local sou confrontada muitas vezes com perguntas sobre o assunto.
Um Bom dia. Bj

Graça Pimentel disse...

gaivota maria
Votar nele?! Cruzes!
Escusas de recorrer à toponímia ou qualquer ciência sobre o assunto. O dito Senhor merece uma avenida, uma rua e uma travessa (falta uma praça, uma praceta, um beco,...) porque, pura e simplesmente era "dono" dos Montes Caolinos. Ainda não percebi se é caolinos ou caulinos. Vejo indistintamente as duas versões.
Nunca mais lá chegavas, confessa?

beijinho

Gaivota Maria disse...

Por acaso o Augusto falou-me nele quando lhe contei do nosso tric-tric. O senhor merece muito, mas tanto... convenhamos que é um exagero. Aliás , que Deus me perdoe se peco ou minto, mas a transformação do monte caulino deveu-se a um licenciamento narcisista (embora já existisse um plano para tal com mais de 30 anos)
Trabalha que te dá saúde. Eu vou trabalhar para uma borla que me está a levar à loucyra. Boa tarde. Aqui há sol

Graça Pimentel disse...

Pois é, IM. Parece-nos que Senhor nõa merece mas nós desconhecemos o que se passa nos meandros destas coisas. Se calhar até se podem comprar nomes de ruas... Sei lá?! Diz-se que tudo tem um preço... O mais caro deve ser a avenida, não?

Lá comecei os meus afazeres com grande intensidade e pequena vontade.

Beijos

ESCRIVA disse...

Força, amiga futura colega de pensão da CGD. Os alunos são tão vítimas como vocês.

Graça Pimentel disse...

escriva
Ainda agora postei no "destramar" uma anedota, sem piada nenhuma, sobre o meu pedido de reforma.
Concordo contigo. Os alunos também são vítimas mas carregadinhos de direitos. Até o direito e faltar quando e porque lhes apetece que quem paga é o professor. Aquele que quase só teve "direito" a deveres.