10 dezembro 2008

Buhle

Hoje fui almoçar com duas Amigas, duas grandes Pessoas.
Aventei a hipótese de irmos ao Bule, na Foz. Um restaurante de que sempre gostei muito e onde não ia há bastante tempo.
O Bule morreu. No sítio do Bule nasceu o Buhle. A moradia antiga deu lugar a um edifício moderno. Nada de especial, o edifício. Nada de especial, a comida. Nada de escpecial, o serviço. Tudo inferior ao Bule excepto a conta que é bastante superior.
O "h" estragou o Bule.
Valeu pela companhia, valeu pela conversa boa.
Valeu também para ficar a saber que não volto lá...

10 comentários:

WOLKENGEDANKEN disse...

BUHLE em alemao é uma palavra muito anticuada que significa amante :))

Anónimo disse...

E o vento norte que não leva"aquilo"!
A encontros que não sabemos explicar,este ficará como o começo duma bela amizade.
O ventinho agradece este encontro e espera novos momentos.E novas traga de Lisboa para nos contar.

vento

Graça Pimentel disse...

wolkengedanken
eheheh... esta "amante" é apenas um restaurante.
Isto das línguas é... diabólico.

Beijo daqui

Graça Pimentel disse...

O vento pode esperar novos almoços porque eles vêm lá. Basta que sopres uma brisa favorável... Agradecer é que o vento não pode.
Quanto à festa de Lisboa, estou como uma criança à espera que chegue o dia para ir à chaminé buscar os presentes... Meninice justificada, julgo eu.

beijinho

Tinta Azul disse...

Gracinha
Do buhle já me esqueci. Acho que perdi o h pelo caminho!
No entanto, há outras letras que estão bem guardadas dentro de mim, o a, o m, o i, o g, o a e o s. - entre outras, evidentemente.
:)

Muitos beijos
Boas ida e volta.

Graça Pimentel disse...

Tinta Azul
Guardaste as letras importantes. Temos que repetir. O vento já sopra por mais...

Beijinho

gonçalo costa disse...

uma pena que pense isso e ainda que fale na minha opiniao sem qq conhecimento de cause, mas na verdade e depois de olhar o seu profile completo cheguei a conclusão que alem de reformada, a sra tb desistiu de portugal, como tal vejo que alem de ser eterna insatisfeita, tb deveria deixar de sair de casa e incomodar quem tenta fazer e criar lugares novos e com novas tendencias que para as pessoas anticuadas como vc parece nada ter a ver.
muito obrigado e continue em casa e esqueça mesmo tanto o h quanto o lugar

Graça Pimentel disse...

Sr. Gonçalo Costa

1. Não conheço a sua ligação ao Buhle mas o seu comentário é lamentável. Se tem qualquer ligação ao local em causa, deveria estar mais preocupado em saber o que se passou para três pessoas não terem ficado satisfeitas com o serviço, do que utilizar frases muito pouco correctas para com alguém que desconhece e que apenas tem uma opinião diferente da sua sobre o Buhle.
2. Era o que faltava que eu não pudesse emitir a minha opinião sobre um restaurante onde almocei ou jantei. Emiti-a, aliás, com conhecimento de causa, já que fui lá almoçar. Tive azar? Paciência. Foi a ideia com que fiquei, bem como as duas pessoas que me acompanharam.
3. Que tem a ver o facto de ser reformada? Os reformados não são gente com direito a conhecer lugares e emitir opiniões? Isso é que é do mais antiquado que há. E de mau gosto, convenhamos.
4. Se ler com atenção eu tenho escrito “quase a desistir” de Portugal e não que desisti de Portugal. Mas, ainda que tivesse dito isso, nada me impediria de gostar ou não de um restaurante onde fui.
5. A minha opinião nada tem a ver com o facto de ser um lugar novo e com novas tendências. Num local daqueles, deveria ser feito um edifício que valorizasse ao máximo a vista de mar que, da sala de jantar não se vê. A comida não me agradou, a postura dos funcionários, sempre em cima das pessoas, também não me agradou e, portanto, a relação qualidade/preço também não me agradou. Se quiser dou-lhe um exemplo de um local novo e com novas tendências de que gostei imenso: Sessenta Setenta. E poderia dar mais exemplos.
6. Desconhecia que ir conhecer um restaurante fosse incómodo para alguém. Na minha opinião, quem abre um novo espaço deve estar com prazer a receber os que o visitam tentando agradar-lhes.
7. Lamento não atender o seu pedido de ficar em casa. Continuarei a sair, a conhecer novos locais e a fazer o meu próprio juízo. Quanto a não voltar ao Buhle, esteja descansado. Já o escrevi.

Anónimo disse...

Como cliente, sem qualquer especie de ligação ao restaurante Buhle, gostaria do aconcelhar a todas as pessoas que procurem um local calmo, gastronomia de excelente qualidade e um atendimento muito agradavel, sobretudo aos amantes de uma boa vinoteca. Claro que gostos não se discutem, mas para os amantes de um sitio com um "toque" diferente, é de não perder

Graça Pimentel disse...

Anónimo
Eu não dei conselhos. Apenas emiti uma opinião e recebi o comentário do Sr. Gonçalo Costa que teve oportunidade de ler. Se calhar tive azar. Fui lá uma vez a a relação qualidade preço deixou-me sem vontade de lá voltar.
Considero as palavras do Sr. Gonçalo Costa ofensivas, respondi como achei que devia e mantenho tudo o que disse.