15 outubro 2007

Um dia em cheio (II)

Os amigos da ETGB levaram-me, ainda, a ver as peças de Mistério, como este Santo António ( um santo que me é particularmente simpático)...

... ou este elemento da banda...

... ou este apito.

Da oficina de Júlia Ramalho (que já tem um filho a trabalhar com ela) veio este cinzeiro.

Vimos ainda as peças de Conceição Sapateiro como este Santo António.

Visitámos, ainda, a oficina de louça artesanal de Manuel Fernandes.
Lá estava a filha a pintar uma assadeira.

Pintava com mão firme,

utilizando ferramentas feitas pela família.

E a assadeira ficou pronta para secar, vidrar e levar ao forno.

2 comentários:

LB disse...

Pena é que haja pouco empenho em manter vivos estes autênticos focos da nossa cultura...

Beijinho

GP disse...

lb
Os jovens não querem este tipo de trabalho. Daí eu ter ficado contente por ver esta rapariguinha a trabalhar e, mais do que isso, a trabalhar com gosto.
Os jovens ainda não perceberam que este tipo de trabalho é cada vez mais valorizado e a procura tende a aumentar. Era preciso, efectivamente, empenho para motivar os jovens para este trabalho tão nosso.

Beijinho