15 julho 2008

Energias Reflectidas


Este jardim, um dos dois projectos portugueses presentes no Festival Internacional de Ponte de Lima, alerta para o futuro do nosso planeta através de dois espaços distintos – o das energias renováveis e o das não renováveis – ligados por um espaço neutro, que será o local de reflexão.
O espaço das energias renováveis desenvolve-se à volta de um elemento vivo, uma oliveira, é relvado, aprazível e nele aparecem flores e elementos coloridos.
O espaço das energias não renováveis é árida e tem como elemento principal, a Torra de Babel, constituída por bidões, que pretende representar a situação actual do exagero da exploração dos recursos não renováveis.
No centro do jardim, e a separar dois espaços, temos uma zona neutra onde está a “cadeira de reflexão”. Aí o visitante está rodeado por um conjunto de três espelhos que duplicam os dois os dois cenários e onde se reflecte a sua imagem lembrando que, nas questões energéticas, cada um de nós tem um papel determinante no futuro do nosso planeta.

4 comentários:

Telma Sanches disse...

é sem duvida um espaço fantástico! não seria ele concebido por mim e pelos meus caros e excepcionais colegas de trabalho ;)
Informo desde já que o poderão voltar a visitar na próximo festival internacional de jardins de ponte de lima, uma vez que este jardim foi o vencedor do corrente ano =)
Não deixem de ir a este magnifico envento!
cumprimentos,
Arqª Paisagista Telma Sanches

Graça Pimentel disse...

Telma
Parabéns aos vencedores.Para o ano, como sempre, lá estarei.
Já agora, posso perguntar de onde são?

Um abraço a todos

O Peregrino disse...

Olá.

Os vencedores são 5 colegas do curso de Arquitectura Paisagísta da Faculdade de Ciências da U. do Porto.

Eu, como marido de uma das vencedoras, Diana T. Fernandes, não podia sentir-me mais orgulhoso deste feito fantástico. Foi bom para elas, e com certeza que o jardim idealizado por eles trouxe uma vida superior ao festival!

Graça Pimentel disse...

O Peregrino
Então parabéns ao marido de uma das autoras. Apesar de este jardim não ter sido aquele em que votei, estava lindo e... "é português".
Para o ano lá irei a Ponte de Lima, como sempre faço.